Por que a percepção vai para o currículo?

189

Hoje ou qualquer outro dia da semana, inclusive domingo: um prédio inteiro aqui em São Paulo vai estar com as luzes das salas ligadas porque muitas pessoas que saíram de lá pensaram que alguém desligaria elas. Não quero falar aqui de questões relacionadas ao meio ambiente, muito menos da opinião de alguns corretores que as luzes geram maior visibilidade e favorecem a locação e a venda das salas, quero falar da percepção em si nos seus mais variados níveis e o quanto essa função pode impactar absolutamente em tudo e todos.

Embora tenhamos acesso a este recurso humano, a sua inobservância é um evidente desperdício. Aprendemos a negligenciar o seu uso por seguir muitas coisas compiladas, como por exemplo, as notícias que geralmente usam pouco ou nenhum dado comparativo gerando conclusões rasas e com margem restrita de interpretação. Como resultado, qualquer opinião sobre um evento singular flutua de 8 a 80 rapidamente. O relativo não existe e o absoluto reina.

No trabalho, o impacto da percepção é total. O profissional atento consegue criar, gerir e promover oportunidades a todo instante. Qual o valor da percepção de um profissional de saúde durante o cuidado ao paciente? E a percepção no mercado de ações? São inúmeras as oportunidades de entrega de resultado quando se esta atento e não no modo automático. Se produz mais de forma assertiva, eficiente e resolutiva. Um grande diferencial para destacar.

O interessante da percepção é que automaticamente ela se soma a nossa base exclusiva de informações e gera resultados singulares que nos desenvolvem muito. A função é extraordinária e exclusiva, um tesouro tão único que o seu uso em excesso, aliado a certas habilidades, pode justificar o sucesso de obras de músicos, pintores, médicos, entre outros, inclusive heróis como o jovem imigrante de 22 anos que escalou em 2018 na França, quatro andares com as mãos e evitou a queda do menino de 4 anos da sacada de um prédio. Ele percebeu o risco iminente e o fator tempo para a sua tomada de decisão. 

A notícia boa é que a realidade está mudando muito. A velocidade imposta pelas redes sociais e o volume de fake news absurdas gerou um combustível para perceber mais o mundo a nossa volta, estamos “validando” e observando mais hoje. Quem souber atribuir significado ao seu meio vai se destacar em todos os ambientes.